Verdade Verdadinha

Olá! Continuando a etapa dos 8 valores que regem/norteiam o propósito do Portal/Blog Universo do Conhecimento e a vida do seu criador (Eu), neste artigo vou falar sobre o que considero ser a Verdade enquanto valor humano. Este é o segundo valor: a Verdade.

Compartilhar nas Redes Sociais:

Olá! Neste artigo vou falar o que considero ser a Verdade enquanto valor humano. Este é o segundo valor: a Verdade. Para saber qual o é o primeiro valor leia este artigo: O Amor é como um Jardim.

A Verdade é um dos maiores trunfos na vida de uma pessoa, pois é ela que faz com que a pessoa seja vista com bons olhos pelos outros e que a sua realidade seja feita de infinitas possibilidades. Se uma pessoa não é verdadeira consigo mesma, jamais o conseguirá ser com os outros. Deste modo seja sempre verdadeiro consigo mesmo, ainda que pareça ser uma tarefa difícil.

No entanto, existem dois conceitos ligados ao valor da Verdade que são a sinceridade e a honestidade. Vou começar por explicar aqui os dois. Ser sincero é ser verdadeiro, é exprimir o que se pensa e sente. Já ser honesto é ser verdadeiro, ao ponto de não enganar ninguém. O que quero dizer com isto, é que não precisamos de ser sinceros com todo o mundo (mas sim com nós próprios), pois não temos de contar a nossa vida a toda a gente; mas precisamos de ser plenamente honestos com nós mesmos e com toda a gente de modo a não nos prejudicarmos a nós e aos outros. Por exemplo, acontece muito nas telecomunicações: se um comercial disser a um cliente que no contrato celebrado este passa a ter certos benefícios e depois o cliente não obtêm esses benefícios, isso é não ser verdadeiro (honesto) e enganar o cliente. Agora se o comercial disser ao cliente que vive em tal zona do país e não vive, isso não é não ser sincero com o cliente, mas no fundo não temos de contar a nossa vida pessoal ao cliente e isso não é enganar.

O que pretendo no fundo com este artigo é explicar que a verdade enquanto honestidade é sempre necessária na vida de qualquer pessoa; já a sinceridade enquanto verdade, cabe à pessoa avaliar e perceber se o que pensa e sente deve ou não ser contado aos outros. Lembre-se que proteger-mos a nossa vida das outras pessoas também é necessário. É como se fosse aquele ditado: “Amigos amigos, mas negócios à parte”. Por isso, não se esqueça de ser verdadeiro não só com os outros mas também consigo mesmo.

Sobre o autor | Website

Sou um Ser na descoberta do Autoconhecimento. Com o Portal/Blog Universo do Conhecimento pretendo ser uma inspiração para todos aqueles que, assim como eu, querem evoluir, ser felizes e aceder a/viver uma vida de infinitas possibilidades para o despertar de um novo Nível de Consciência.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!