Como a Baixa Autoestima afeta negativamente a nossa Vida

Fica a saber como a tua vida é influenciada negativamente quando tens baixa autoestima e falta de amor-próprio.

Compartilhar nas Redes Sociais:

Tempo de Leitura: 2 minutos

A baixa autoestima revela, que em algum momento da nossa vida, nos perdemos de nós mesmos. Faz com que tiramos o foco de nós e passamos a colocar no outro.

Projetamos e criamos expectativas no outro, e nem percebemos que este comportamento nos leva a desligar, cada vez mais de nós mesmos e de quem somos. A frustração gerada através, da não satisfação das expectativas que colocamos no outro, reforça e recalca mais ainda a nossa falta de amor-próprio e baixa autoestima.

A baixa autoestima faz com que, aceites quando os outros não te respeitam, não sabes impor os teus limites, aceitas migalhas de afeto, acreditas não seres merecedor do melhor, aceitas as ofensas e não te consegues defender, anulas as tuas vontades em prol dos outros, ficas dependente emocionalmente e/ou financeiramente do outro e exiges atenção do outro a todo o momento, ainda que de forma inconsciente.

Ficas obcecado naquilo que o outro não te dá, sufocas o outro e pressionas com cobranças, tens tendência a estar sempre a criticar e/ou julgar o outro, porque achas sempre pouco o que recebes. Pedes o mais, que tu também não te dás.

Tudo isto, gera em ti emoções muito negativas, como a insatisfação, a desvalorização, frustração, raiva, entre tantas outras…

Todas estas emoções negativas, vão minando a tua força, a tua coragem, a tua motivação, a tua vontade de estar na vida, gera inclusive sérios problemas de saúde e consequentemente afeta todas as outras áreas da tua vida. Ficamos assim, na defensiva e demasiado sensíveis com qualquer comentário ou observação que nos façam, a tendência é se identificar negativamente.

O amor-próprio e a autoestima é o primeiro passo para te sentires em paz contigo mesmo, é a base e o alicerce da tua transformação. Por isso, é importante que comeces a olhar para ti com amor, a aceitar a tua totalidade com o bom e o menos bom, é necessário afastar os pensamentos de julgamento em relação a ti mesmo, às tuas atitudes e comportamentos. É urgente te olhares com compaixão e tirar o foco do outro. Afinal tudo é, de nós para connosco mesmos.

Sobre o autor | Website

Terapeuta de Desenvolvimento Humano e Coach na Vertente Psicológica. Acredito que todos nós dispomos de uma força interior motivadora, capaz de gerar uma transformação completa na nossa forma de estar na vida. Num momento de grande sofrimento interno, em que me perdi de mim mesma, fiz uso dessa força e encontrei o amor-próprio, o equilíbrio emocional, a paz de espírito e a harmonia comigo e com os outros. EU CONSEGUI, TU CONSEGUES!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Mauro disse:

    Adorei o texto! Talvez muitas pessoas não tenham consciência que a falta de auto-estima traduz-se na nossa forma de estar e lidarmos uns com os outros. É importante ter consciência do amor próprio! É, sem dúvida, a base e o alicerce de qualquer transformação!